O Bem-Aventurado

Como o Cristão é abençoado

O Salmo 1 nos ensina que o bem-aventurado é aquele que está firme na Palavra de Deus. Estar firme é meditar nela diariamente. Também é buscar os seus conselhos objetivando caminhar em bons caminhos e estar rodeado de pessoas que professam a mesma fé. Mesmo diante de narrativas que visam reduzir a verdade bíblica, o abençoado não se preocupa, afinal de contas, de Deus é a terra e tudo o que nela há (Salmo 24.1). O bem-aventurado se atenta em estar diante da Palavra antes mesmo de querer defendê-la, ou explicá-la, etc.

O cristão abençoado é aquele que entende que o sacrifício de Jesus foi e é o bastante para viver na fé (Filipenses 1.21).

Gedimar Junior

Com isso, por meio do auto esvaziamento, o cristão busca se encher cada dia mais deste Cristo, até que ele seja tudo nele (2 Coríntios 5.28). Se encher de Jesus envolve se comprometer com o seu Evangelho. O compromisso com o Evangelho demanda ter no coração (Deuteronômio 6.6) a mensagem de Gênesis a Apocalipse.

O cristão abençoado é aquele que preza pela voz de Deus (João 6.68). Esta voz pode e deve ser ouvida por meio da Palavra. Não há outra voz senão daquele que inspirou sua criatura para registrar o seu conteúdo, suas sugestões, suas descrições, suas observações, seus ensinamentos, seus conselhos, suas ordens, suas falas de amor, suas falas de justiça, sua autodescrição etc.

O bem-aventurado sabe que estamos de passagem e que a nossa pátria não é aqui (Filipenses 3.20–21). Por isso, o seu coração se inclina diante do Rei da nação a qual pertence. Ele descansa e o contempla a cada segundo que a sua consciência lhe mostra sua finitude. Antes mesmo de provar sua fé, de planejar seus atos de testemunho ou sua forma de falar, o abençoado se preocupa em ser fiel a Deus. Ser fiel a Deus é deixar ser levado pelo Espírito Santo. É não buscar o autocontrole. Deste jeito ele cobrará menos de si mesmo e produzirá mais. Afinal de contas, a fonte de toda produção advém do Rei justo.

O abençoado sabe que o seu status quo pertence a Deus. Com isso, ele não busca alterar seu corpo. Ancorado na Escritura, o abençoado descansa e confia que tudo que ele precisa fazer e ser terá como pano de fundo o plano maior do Senhor. As indicações, iluminações, sinais, princípios, valor, sentido, significado, virão da Sagrada Escritura.

Bem-aventurado aquele que antes de sair para trabalhar, se humilha diante do Criador e clama por água e pão. Mas não pede o alimento apenas para si. Pelo contrário, ele conclama com uma cesta a fim de que aquele alimento também seja degustado pelos famintos do trabalho, escola, faculdade, rua, motoristas; famintos pela existência bem-aventurada.

Gedimar Junior

O abençoado sabe que os seus frutos não são resultado dos seus bons galhos. Ele sabe que sem a lubrificação das raízes, jamais daria maças. Ele sabe que Deus enviou a água. Com isso, antes de decidir, correr, dormir, navegar no celular, ajustar relações que precisam ser ajustadas, antes de planejar o que irá comer no final de semana, ele se mantém ali naquela região onde terá água.

Bem-aventurado é aquele que se mantém no Senhor. Se manter no Senhor é fincar sua casa, coração, alma, mente e existência sobre a rocha (Mateus 7.24–29); rogar por aqueles que ainda gostam da areia, para que aprendam e descubram o caminho que leva à rocha. O bem-aventurado pensa mais em Jesus do que em si mesmo, e tudo que sonha encontra no fim o Cristo e o seu reino.

O bem-aventurado sabe que continuar meditando na Palavra não é difícil, impossível, entendimento, tempo-perdido. Ele sabe porque o seu prazer está na lei do Senhor. Inclusive, por estar em Cristo, quando a Palavra não domina o seu coração, a sua existência sente. A existência sente porque entende que a única forma de ser feliz é permanecer em Cristo. E permanecer em Cristo é meditar no Evangelho todos os dias. Meditar no Evangelho envolve ler a Palavra do Senhor, de Gênesis a Apocalipse.

Portanto, para o abençoado, há lei para a sua existência. Por isso, ele medita de dia e de noite (Salmo 1.2).

Gedimar Junior é formado em Teologia pelo Seminário Teológico Evangélico Betel Brasileiro e pelo Seminário Martin Bucer. Mestre em hermenêutica e exposição bíblica pelo Seminário Teológico Evangélico Betel Brasileiro (ThM). Atualmente é mestrando em divindade (MDiv) pelo Seminário Martin Bucer, com ênfase em Teologia Sistemática e Histórica, e bacharelando em Filosofia na Faculdade Presbiteriana Mackenzie. É professor de teologia e filosofia no Seminário Betel Brasileiro e no Seminário Teológico Batista do Sudeste. Serve à Igreja do Senhor como presbítero na Igreja Batista Vila Olímpia, SP.

MAIS DE

Livros que recomendamos

5/5
Search

Para melhorar sua experiência, este site usa cookies.